Novembro Azul


 

Prevenção

A próstata é uma glândula que só o homem possui, localizada na parte baixa do abdômen. Situa-se logo abaixo da bexiga e à frente do reto. A próstata envolve a porção inicial da uretra, tubo pelo qual a urina armazenada na bexiga é eliminada. Ela produz cerca de 70% do sêmen, e representa um papel fundamental na fertilidade masculina.

Uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais e com menos gordura, principalmente as de origem animal, ajuda a diminuir o risco do câncer. Especialistas recomendam pelo menos 30 minutos diários de atividade física, manter o peso adequado à altura, diminuir o consumo de álcool e não fumar.

Homens a partir dos 50 anos devem procurar um posto de saúde para realizar exames de rotina. Os sintomas mais comuns do tumor são a dificuldade de urinar, frequência urinária alterada ou diminuição da força do jato da urina, dentre outros. Quem tem histórico familiar da doença deve avisar o médico, que indicará os exames necessários.

Exames

O toque retal é o teste mais utilizado e eficaz quando aliado ao exame de sangue PSA (antígeno prostático específico, na sigla em inglês), que pode identificar o aumento de uma proteína produzida pela próstata, o que seria um indício da doença. Para um diagnóstico final, é necessário analisar parte do tecido da glândula, obtida pela biópsia da próstata.

A Sociedade Brasileira de Urologia recomenda que todos os homens com 45 anos de idade ou mais façam um exame de próstata anualmente, o que compreende o toque retal feito e o PSA. Segundo especialistas, o toque retal é considerado indispensável e não pode ser substituído pelo exame de sangue ou por qualquer outro exame, como o ultrassom, por exemplo.

Tratamento

Caso a doença seja comprovada, o médico pode indicar radioterapia, cirurgia ou até tratamento hormonal. Para doença metastática (quando o tumor original já se espalhou para outras partes do corpo), o tratamento escolhido é a terapia hormonal.

A escolha do tratamento mais adequado deve ser individualizada e definida após médico e paciente discutirem os riscos e benefícios de cada um.

Rede pública

A Política Nacional de Atenção Oncológica garante o atendimento integral a todos aqueles diagnosticados com câncer, por meio das Unidades de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) e dos Centros de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon).

Todos os estados brasileiros têm pelo menos um hospital habilitado em oncologia, onde o paciente de câncer encontrará desde um exame até cirurgias mais complexas. Mas para ser atendido nessas unidades e centros é necessário ter um diagnóstico já confirmado de câncer por laudo de biópsia ou punção.

Mais informações: http://www.brasil.gov.br/saude/2012/11/novembro-azul-conscientiza-homens-para-prevencao-do-cancer-de-prostata


Outubro Rosa


Na década de 1990, nasce o movimento conhecido como Outubro Rosa, para estimular a participação da população no controle do câncer de mama. A data é celebrada anualmente, com o objetivo de compartilhar informações sobre o câncer de mama, promover a conscientização sobre a doença, proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade.

O INCA participa do movimento desde 2010, promove eventos técnicos, debates e apresentações sobre o tema, assim como produz materiais e outros recursos educativos para disseminar informações sobre prevenção e detecção precoce da doença.

Campanha Outubro Rosa 2016

Em 2016, a campanha do INCA no Outubro Rosa tem como tema “Câncer de mama: vamos falar sobre isso?”. O objetivo é fortalecer as recomendações do Ministério da Saúde para o rastreamento e o diagnóstico precoce do câncer de mama e desmistificar conceitos em relação à doença. A campanha:

enfatiza a importância de a mulher conhecer suas mamas e ficar atenta às alterações suspeitas;
informa que para mulheres de 50 a 69 anos é recomendada a realização de uma mamografia de rastreamento a cada dois anos;
mostra a diferença entre mamografia de rastreamento e diagnóstica;
esclarece os benefícios e malefícios da mamografia de rastreamento;
informa que o Sistema Único de Saúde (SUS) garante a oferta gratuita de exame de mamografia para as mulheres brasileiras em todas as faixas etárias.

Veja mais informações em: http://www.inca.gov.br/outubro-rosa/outubro-rosa.asp


6 de junho – Dia Nacional do Teste do Pezinho


Um balanço do Ministério da Saúde mostra que 85,8% das crianças nascidas em 2015 no Brasil realizaram o teste do pezinho no SUS (Sistema Único de Saúde). Isso significa que, no ano passado, 2,5 milhões de crianças passaram por uma triagem que detecta seis doenças genéticas ou congênitas. Quando essas alterações são identificadas precocemente, as crianças poderão ser tratadas e acompanhadas pelos serviços de referência, garantindo assim que elas se desenvolvam bem e tenham qualidade de vida.

“Com a triagem, a gente busca detectar precocemente doenças na tentativa de tratar e garantir à criança um crescimento saudável”, explica a pediatra e geneticista Gisele Rozone de Luca, do Hospital Infantil Joana Gusmão, em Florianópolis (SC). “São doenças progressivas. Elas podem não se manifestar de imediato, mas se não forem detectadas e tratadas podem até levar à morte”, alerta.

Para chamar a atenção dos pais , responsáveis e profissionais de saúde sobre a importância do exame, o Ministério da Saúde instituiu 6 de junho como o Dia Nacional do Teste do Pezinho. O exame é simples. Entre o terceiro e o quinto dia de vida do bebê, é coletado o sangue do pé da criança, por isso o nome do exame. O teste consegue identificar seis doenças: fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, doença falciforme, fibrose cística, deficiência de biotinidase e hiperplasia adrenal congênita.

A pediatra Gisele ainda faz um alerta para a necessidade de explicar a importância do teste do pezinho durante o pré-natal. “Já atendi crianças que não tinham realizado o exame. Não foi ensinado àquela mãe o real valor do teste do pezinho. É preciso, desde o pré-natal, explicar à mãe que o teste salva vidas. As equipes de saúde precisam estar voltadas a explicar os benefícios do teste do pezinho”, destaca . Por isso, aproveitando o dia nacional do Teste do Pezinho, o Hospital Infantil Joana Gusmão vai realizar uma ação para conscientizar as famílias sobre a importância desse exame.

O ideal é que o teste do pezinho seja realizado entre o 3º e o 5º dia de vida. No SUS, 43,8% das crianças realizaram o teste nesta faixa-etária; seguido por 21,3% entre 6º e o 8º dia; e 13,7% entre 9º e o 15º dia. Outras 9,96% realizaram entre o 15º e o 30º dia de vida; 9,3% até o segundo dia de vida; e apenas 1,71% realizaram após 30 dias de vida.
Com a reformulação do Programa Nacional de Triagem Neonatal (PNTN), iniciada em 2012, o SUS passou a testar 6 doenças com o exame do pezinho (deficiência de biotinidase e hiperplasia adrenal congênita) e universalizou a triagem neonatal a todo o território brasileiro. Além disso, criou programa de capacitação técnica e gerencial para médicos, técnicos de laboratórios e coordenadores de triagem neonatal de todos estados.

Conheça as doenças triadas no Teste do Pezinho

Fenilcetonúria – É um dos erros inatos do metabolismo de herança genética. O defeito metabólico gerado leva ao acúmulo do aminoácido Fenilalanina (FAL) no sangue. Sem o diagnóstico precoce e do tratamento antes dos 3 meses de vida, a criança com Fenilcetonúria apresenta um quadro clínico clássico, caracterizado por atraso global do desenvolvimento neuropsicomotor (DNPM), deficiência mental, comportamento agitado ou padrão autista, convulsões, alterações eletroencefalográficas e odor característico na urina.

Hipotireoidismo congênito – É uma emergência pediátrica causada pela incapacidade da glândula tireóide do recém-nascido em produzir quantidades adequadas de hormônios tireoideanos, que resulta numa redução generalizada dos processos metabólicos. Sem o diagnóstico e tratamento precoce, a criança terá o crescimento e desenvolvimento mental seriamente comprometidos. O tratamento da doença consiste na reposição dos hormônios tireóideos deficitários, no caso, reposição de levotiroxina sódica (hormônio sintético).

Doença falciforme e outras hemoglobinopatias – A Doença Falciforme (DF) é causada por um defeito na estrutura da Hemoglobina, que leva as hemácias a assumirem forma de lua minguante, quando exposta a determinadas condições como febre alta, baixa tensão de oxigênio, infecções etc. As alterações genéticas na hemoglobina são transmitidas de geração em geração. O paciente afetado apresenta as seguintes alterações clínicas: anemia hemolítica, crises vaso-oclusivas, crises de dor, insufici¬ência renal progressiva, acidente vascular cerebral, maior susceptibilidade a infecções e sequestro esplênico. O ideal é que o tratamento seja iniciado antes dos quatro meses de vida. As principais medidas preconizadas são: administração de antibióticoterapia profilática (esquema especial de vacinação), suplementação com ácido fólico, além do seguimento clínico especializado.

Fibrose cística – A Fibrose Cística (FC) ou Mucoviscidose, como também é conhecida, é uma das doenças hereditárias consideradas graves e afeta especialmente os pulmões e o pâncreas, num processo obstrutivo causado pelo aumento da viscosidade do muco. Nos pulmões, esse aumento na viscosidade bloqueia as vias aéreas propiciando a proliferação bacteriana, o que leva à infecção crônica, à lesão pulmonar e ao óbito por disfunção respiratória. No pâncreas, quando os ductos estão obstruídos pela secreção espessa, há uma perda de enzimas digestivas, levando à má nutrição. Sintomas mais graves e complicações incluem a desnutrição, o diabetes, a insuficiência hepática e a osteoporose. Dentre os demais sintomas podem estar incluídos: dificuldade de ganho de peso, problemas respiratórios, perda de sal pelo suor, dor abdominal recorrente, icterícia prolongada, pancreatite recorrente, cirrose biliar e retardo no desenvolvimento somático. O tratamento do paciente com Fibrose Cística consiste em acompanhamento médico regular, suporte dietético, utilização de enzimas pancreáticas, suplementação vitamínica (vitaminas A, D, E, K) e fisioterapia respiratória. Quando em presença complicações infec¬ciosas, está indicada a antibióticoterapia de amplo espectro. Além do esquema vacinal habitual, as crianças devem receber também imunização anti-pneumocócica e anti-hemófilos.

Hiperplasia adrenal congênita – A denominação hiperplasia adrenal congênita (HAC) engloba um conjunto de síndromes transmitidas geneticamente, que se caracterizam por diferentes deficiências enzimáticas na síntese dos esteroides adrenais. O diagnóstico precoce e o tratamento adequado melhoram o padrão de crescimento podendo normalizá-lo na maior parte dos casos. As manifestações clínicas na HAC dependem da enzima envolvida e do grau de deficiência enzimática (total ou parcial). O diagnóstico precoce e o tratamento adequado melhoram o padrão de crescimento podendo normalizá-lo na maior parte dos casos. O tratamento deve ser contínuo ao longo da vida.

Deficiência de biotinidase – A deficiência de biotinidase (DBT) é uma doença metabólica hereditária na qual há um defeito no metabolismo da biotina. Clinicamente, manifesta-se a partir da sétima semana de vida com distúrbios neurológicos e cutâneos tais como crises epiléticas, hipotonia, microcefalia, atraso do desenvolvimento neuropsicomotor, alopecia e dermatite eczematóide. Nos pacientes com diagnóstico tardio observam-se, distúrbios visuais, auditivos assim como atraso motor e de linguagem. O tratamento medicamentoso é muito simples, de baixo custo e consiste na utilização de biotina (vitamina) em doses diárias.
Outros testes em recém-nascidos realizados no SUS

Teste da Orelhinha – realizado por meio de exames fisiológicos e eletrofisiológicos da audição, para identificar o mais precocemente possível as deficiências auditivas em recém-nascidos e lactentes e encaminhar para intervenções adequadas à criança e sua família. Realizado, preferencialmente, nos primeiros dias de vida (24h a 48h) na maternidade, e no máximo, durante o primeiro mês de vida, a não ser em casos quando a saúda da criança não permita a realização dos exames.

Teste do Olhinho – Com oftalmoscópio ou qualquer instrumento com fecho de luz, como caneta de luz, o exame busca identificar agravos que levam a opacificação do cristalino, com diagnóstico presuntivos de retinoblastoma, catarata congênita e outros transtornos oculares congênitos e hereditários.

Teste da Linguinha – é realizado durante o exame físico de rotina do recém-nascido, para identificar a presença de anquiloglossia, popularmente conhecida como língua-presa

Teste do Coraçãozinho – Este teste consiste na aferição da oximetria de pulso (quanto oxigênio o sangue está transportando) de forma rotineira em recém-nascidos, entre 24 e 48 horas de vida, antes da alta hospitalar. O objetivo é a detecção precoce das cardiopatias congênitas.

Carlos Américo, para o Blog da Saúde


Doenças transmitidas por insetos matam mais de um milhão por ano


Segundo a OMS, as doenças transmitidas por insetos vetores representam 17% de todas as doenças infecciosas

Os insetos são responsáveis pela transmissão de doenças que matam mais de um milhão de pessoas por ano em todo o mundo. Além dos óbitos, anualmente, registram-se bilhões de casos de patologias também transmitidas por insetos como malária, dengue ou febre-amarela.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), as doenças transmitidas por insetos vetores representam 17% de todas as doenças infecciosas.

A malária, transmitida pelo mosquito Anopheles aegypti, infestou mais de 214 milhões de pessoas e matou 438 mil em 2015.

A Dengue, transmitida pelo Aedes aegypti, é a doença transmitida por mosquitos que mais tem crescido, tendo a sua incidência aumentado 30 vezes nos últimos 50 anos.

Os mesmos mosquitos provocam outras doenças, como a febre-amarela, o vírus do Rio Nilo, a Chikungunya e o Zika, que já fez mais de um milhão e meio de casos no Brasil e que os cientistas associam a casos de microcefalia congênita.

A transmissão do agente patogênico (parasita no caso da malária e vírus no caso da dengue ou do Zika) ocorre através da picada do inseto e apenas as fêmeas picam, pois só elas se alimentam de sangue para produzirem ovos.

No mundo, existem cerca de 3,5 mil espécies de mosquitos e graças à globalização – viajam com os humanos em automóveis, caminhões, navios e aviões – estão espalhados por todo o mundo.

A maioria dos mosquitos, no entanto, não viaja longe sozinho. Se tiverem onde se alimentar e onde se reproduzir por perto, não se deslocam muito.

Repelente

Na sua fase imatura, os mosquitos são seres aquáticos, que eclodem e se desenvolvem em água parada, onde se alimentam de algas microscópicas e onde, por sua vez, servem de alimento para peixes. Quando adultos, servem como alimento para aves, morcegos e aranhas.

Desde a invenção do inseticida DDT em 1939, os humanos têm tentado acabar com os mosquitos, mas eles desenvolvem mencanismos de resistência a cada nova geração de veneno, tornando-se ainda mais fortes.

A entomologista do Instituto Pasteur de Paris Anna-Bella Failloux sentenciou: “simplesmente não conseguimos erradicar os mosquitos”.

Por isso, a solução é evitar ser picado, usando as técnicas disponíveis, como repelente e roupas largas e claras, recomenda a entomologista Carla Sousa, do Instituto de Higiene e Medicina Tropical.


Maio Amarelo – Atenção pela vida


 

O Movimento Maio Amarelo nasce com uma só proposta: chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo.

O objetivo do movimento é uma ação coordenada entre o Poder Público e a sociedade civil. A intenção é colocar em pauta o tema segurança viária e mobilizar toda a sociedade, envolvendo os mais diversos segmentos: órgãos de governos, empresas, entidades de classe, associações, federações e sociedade civil organizada para, fugindo das falácias cotidianas e costumeiras, efetivamente discutir o tema, engajar-se em ações e propagar o conhecimento, abordando toda a amplitude que a questão do trânsito exige, nas mais diferentes esferas.

Acompanhando o sucesso de outros movimentos, como o “Outubro Rosa” e o “Novembro Azul”, os quais, respectivamente, tratam dos temas câncer de mama e próstata, o “MAIO AMARELO” estimula você a promover atividades voltadas à conscientização, ao amplo debate das responsabilidades e à avaliação de riscos sobre o comportamento de cada cidadão, dentro de seus deslocamentos diários no trânsito.

A marca que simboliza o movimento, o laço na cor amarela, segue a mesma proposta de conscientização já idealizada e bem-sucedida, adotada pelos movimentos de conscientização no combate ao câncer de mama, ao de próstata e, até mesmo, às campanhas de conscientização contra o vírus HIV – a mais consolidada nacional e internacionalmente.

Portanto, a escolha proposital do laço amarelo tem como intenção primeira colocar a necessidade da sociedade tratar os acidentes de trânsito como uma verdadeira epidemia e, consequentemente, acionar cada cidadão a adotar comportamento mais seguro e responsável, tendo como premissa a preservação da sua própria vida e a dos demais cidadãos.

Vale ressaltar que o MAIO AMARELO, como o próprio nome traduz, é um movimento, uma ação, não uma campanha; ou seja, cada cidadão, entidade ou empresa pode utilizar o laço do “MAIO AMARELO” em suas ações de conscientização tanto no mês de maio, quanto, na medida do possível, durante o ano inteiro.

A motivação para o Movimento MAIO AMARELO não é novidade para a sociedade. Muito pelo contrário, é respaldada em argumentos de conhecimento público e notório, mas comumente desprezados, sem a devida reflexão sobre o impacto na vida de cada cidadão.

Em conclusão, o MAIO AMARELO quer e espera a participação e envolvimento de todos comprometidos com o bem-estar social, educação e segurança em decorrência de cultura própria e regras de governança corporativa e função social; razão pela qual, convidamos você, sua entidade ou sua empresa a levantar essa bandeira e fazer do mês de maio o início da mudança e fazer do AMARELO, a cor da “atenção pela vida”.

Fonte: maioamarelo.com


Todos contra o Aedes Aegypti


 

Todos devem estar atentos aos criadouros do mosquito Aedes aegypti, para não deixá-lo nascer. Esse cuidado também deve ser adotado no ambiente de trabalho, sobretudo porque o mosquito é mais ativo durante o dia, período em que a maioria das pessoas está trabalhando.

Por isso, a atuação de empresas e órgãos públicos e privados na elaboração de ações para engajamento dos trabalhadores como protagonistas é fundamental para o enfrentamento ao vetor. O combate ao Aedes aegypti deve ser incluído nas políticas de saúde e segurança das empresas. Também é importante traçar plano de ações, metas e acompanhamento das inciativas.

Com foco na eliminação dos locais em que possam acumular água, é recomendável que o plano de ação tenha ações de educação e mobilização dos trabalhadores e trabalhadoras; combate aos focos do mosquito; e comunicação e informação.

Eliminação de focos do mosquito

O Ministério da Saúde criou o Plano Integrado de Ações para Combate ao Aedes aegypti. Todos os dias, uma força-tarefa formada por brigadistas, equipe de limpeza e trabalhadores em geral percorre o interior dos prédios do Ministério da Saúde e as áreas externas de seu entorno, com o objetivo de garantir ambientes sempre limpos e livres de focos do mosquito.

Para realizar a vistoria, toda semana a equipe segue um check list com 25 pontos a serem observados para não acumular água parada e se tornarem ambientes propícios para criadouros do Aedes aegypti. Além da eliminação de eventual água parada, os locais são limpos para a retirada de possíveis focos. A partir dos dados das vistorias, são produzidos relatórios de avaliação e definição de novas estratégias.

 

 

Fonte: saude.gov.br


Processo de Beatificação do Padre Libério


 

Na noite do último dia 02 de março, esteve, em Leandro Ferreira, cidade situada na Diocese de Divinópolis, um grupo de pessoas responsáveis pelo processo de verificação da possibilidade de beatificação e canonização do Servo de Deus, Padre Libério Rodrigues Moreira. O objetivo da visita foi para iniciar o procedimento de transladação dos restos mortais de Padre Libério, que se encontravam sepultados em uma pequena capela, junto ao cemitério municipal, desde seu falecimento, em 1980, para a Igreja Matriz de São Sebastião, de Leandro Ferreira.

Além dos integrantes da comissão diocesana da causa da beatificação e canonização, Padre Adelmo, Padre Francisco, Monsenhor Paulo, Padre Ydecy e Erivelta, participaram os técnicos vindos de Roma, Padre Paolo Lombardi e Sr. Paolo Vilotta. Estiveram presentes também o bispo diocesano, Dom José Carlos, e Padre Guilherme, que é o atual administrador da paróquia.
Após a abertura do túmulo e o recolhimento dos restos mortais, os mesmos foram conduzidos pela comitiva até Divinópolis, onde serão devidamente preparados para serem levados de volta no dia 12 de março, sábado, e depositados na Igreja durante a celebração de uma Missa.

E, para esclarecer tais fatos, Dom José Carlos convidou a imprensa da região para uma entrevista coletiva, falando, com mais detalhes, do Processo de Beatificação do Padre Libério.

O fechamento da fase diocesana consiste na lacração de todo o material recolhido desde a abertura do processo, em agosto de 2012, que será encaminhado a Roma, através do Postulador Padre Adelmo. Todo o material será enviado até o mês de novembro deste ano, para validação e início da segunda fase. Em Roma, será marcada a data de abertura do processo. Após a abertura é feita a validação jurídica, consistindo na verificação se a estrutura do processo está completa.

A partir da abertura, começa a segunda fase, denominada “Romana”. O Postulador, que na fase Romana será o Dr. Padre Paolo Vilotta, nomeia um relator para a elaboração da “Positio”, que irá reunir os depoimentos colhidos e fará uma biografia com os dados encontrados. Com base nisso, elabora a “Informatio”, quando deverá comprovar as virtudes vividas por Padre Libério, que são: Virtudes Teologais – Fé, Esperança e Caridade; Virtudes Cardeais – Prudência, Justiça, Fortaleza e Temperança e Virtudes do seu estado clerical – Humildade, Pobreza, Castidade e Obediência.

Pronta, a “Positio” é publicada e segue para análise de conteúdo por uma Comissão Histórica, Comissão de Teólogos e Comissão de Bispos e Cardeais; se aprovada segue para ratificação do Papa Francisco, que proclama Padre Libério “Bem-aventurado”. Dom José Carlos ainda informou que não há previsão para o encerramento desta fase.

Após a proclamação da Bem-Aventurança será iniciada a fase da Beatificação. Para ser declarado Beato é necessário provar que, depois da morte de Padre Libério, através da intercessão dele, Deus realizou um milagre. Isto se verifica mediante um rigoroso processo que estuda o milagre em questão. Para isso há uma comissão médica que passa as informações a uma comissão de teólogos, encarregada de examinar, à luz da fé, as conclusões do estudo apresentado pela comissão médica; Se a decisão definitiva confirmar a autenticidade do milagre, se proclama oficialmente o decreto sobre o mesmo. O Santo Padre, o Papa, o confirma e assim se determina a data e o lugar da cerimônia da Beatificação. Não precisa de milagre algum se há provas que a pessoa foi martirizada pela fé.

Para que um Beato chegue a ser proclamado Santo, requer-se que, depois de ter sido beatificado, alcance de Deus um milagre mediante sua intercessão. Este milagre deve provar-se através de um processo rigoroso, igual ao exigido para a Beatificação.

A Congregação para a Causa dos Santos (antiga Congregação de Ritos) é a encarregada da Beatificação e Canonização dos cristãos.

Confira, na íntegra, a coletiva de imprensa:

Fonte: Diocese Divinopolis

 


Feliz Natal


Que o espírito natalino traga aos nossos corações a fé inabalável dos que acreditam em um novo tempo de paz e amor.

Boas festas e um próspero ano novo!

São os sinceros votos do prefeito Robério Campos e de toda a administração municipal de Leandro Ferreira – MG

Administração 2013/2016
Governo para todos


Primeira Copa CAMJ de judô


E foi assim a primeira Copa Camj de judo de Leandro Ferreira, que reuniu judocas de Divinópolis, Araújos, Bom Despacho, Carmo do Cajuru, Nova Serrana e Leandro Ferreira,um grande sucesso! Família reunida, espírito de competição, respeito, amizade e claro muita alegria.
Parabéns à todos dos judocas e seus familiares que estiveram aqui presente.

Parabéns ao professor idealizador Jacaré Camj e a todos que organizaram este evento maravilhoso. E que venham mais competições..

Foi lindo o evento, muito obrigado aos patrocinadores:
Nilce – Laticínios Lulu
Vanessa – Farmacia Droga Mais
Wellignton – Madereira Padre Liberio
Adelino – Ótica Milleniu
Esnaldo e Wellington – Posto Honoreto e Veríssimo

Obrigado por incentivarem a pratica esportiva e acreditarem em melhores maneiras de manter nossas crianças longe de situações de risco.
Parabéns aos nossos lindos judocas: Alexandre, Alice, Ana Beatriz, Arthur (os dois), Izadora, Leticia, Glauco, Caio, Hugo, Leonardo, Levi, Maria Vitória, Ana Júlia, João Pedro, João Gabriel. Vocês foram demais.

Fonte: https://www.facebook.com/lucienelfunipac/posts/968362623202575